Escrever o cansaço incansável: Žižek Vai ao Ginásio | por Carla Carbatti

Como escrever quando as palavras, o pensamento, o silêncio, as mãos estão cansadas? O que escrever com as palavras, o pensamento, o silêncio e as mãos cansadas? Cansaço, eis um conceito, ou melhor, um percepto (o pensar mediante percepções e sensações próprio das artes, segundo Deleuze e Guattari) incontornável para acompanhar ao Žižek Vai ao Ginásio de Tiago Alves…

Filipe Campos Melo sobre “Žižek vai ao Ginásio”

“Antes de me conhecerem, devem primeiro conhecer as minhas palavras” I. Da Arquitetura Oblíqua Uma “Pessoa-Estátua” observa a realidade estática de um mundo decaído num desconcerto –uma ética (inumana) alicerçada numa arquitetura oblíqua Esse “Eu-Estátua” – meramente contemplativo, é um ser desprovido da força necessária,necessariamente morrente “de pasmo” A imobilidade gera um aglomerado de gente…

KNK – Sobre o último livro de Luís Filipe Sarmento

Certas obras supõem para mim um salto mortal sem rede. Já vivi vários: Whitman, Herberto, Clarice. Neste sepulcro em que hoje nos movemos, poucos são aqueles capazes de nos assombrar no escuro da leitura e paredes meias atingir o belo. E todo o nosso transe é justamente a experiência da ruína desse muro e da…