3 poemas na revista brasileira “Ruído Manifesto”

PALAVRA-POETA-DISTÚRBIO O poeta avisou: Antes de me conhecerem, devem primeiro conhecer as minhas palavras. Então as palavras entraram na sala e o poeta ficou do lado de fora à espera. No seu interior as palavras começaram a desconstruir o que havia à sua volta. Aos saltos, sobre as mesas, gritando, despindo-se com esgares de loucura…

“Vida – Dinheiro” – Revista Cintilações

Não queria gastar muito dinheiro queria…. ficar quieto Parado com MEDO uma estátua uma pessoa-estátua PARADA Alguém o empurrou Sem querer Por querer (não havia certeza quanto a isso) E um profundo silêncio todas as suas poupanças perdidas Tudo aquilo que juntara enquanto se movia. toda a sua vida-dinheiro Começou a correr como se ainda…

Um parque industrial num domingo à tarde

Fosse como eu próprio vou de frente para esta realidade percebida como imperfeita vivendo este estado de coisíssima nenhuma de isto ainda poder ser como se fosse, realmente… um parque industrial num domingo à tarde com as máquinas paradas, os armazéns fechados os computadores obedientes os lugares reservados! e ninguém para estacionar ninguém para ser…