Um tempo sem idade

O que nos espera nos lugares? Um braço lá no alto sinalizando a altura do mundo. Um amigo que nos aguarda há pelo menos 1000 anos. Caminhar sob a superfície evitada das dúvidas e uma cartografia abrir-se sobre nós: Ti falame portugues. Nós que julgamos conhecer o mundo. Que julgávamos conhecer as nossas pernas. O…

3 poemas na revista brasileira “Ruído Manifesto”

PALAVRA-POETA-DISTÚRBIO O poeta avisou: Antes de me conhecerem, devem primeiro conhecer as minhas palavras. Então as palavras entraram na sala e o poeta ficou do lado de fora à espera. No seu interior as palavras começaram a desconstruir o que havia à sua volta. Aos saltos, sobre as mesas, gritando, despindo-se com esgares de loucura…