Teresa Moure sobre Žižek vai ao ginásio

(…) Sento-me, irrequieta, a escrever o prólogo de Zizek Vai ao Ginásio. Tento abandonar-me ao imenso prazer de ler um poemário comovedor, estimulante, que, às vezes, até faz com que sorria. Contudo, o prólogo não nascerá dessa vontade de expressar o que me move quando escrevo. Foi solicitado pelo autor, meu amigo, que talvez queira…

Poema-leitura-diálogo sobre Žižek vai ao ginásio | Ramiro Torres

O poeta lança a luza sua língua incendiária,atravessa o sol hipnóticocom um poema nos lábiosenquanto a realidade levantao seu voo e arde nos olhos,como um animal anterioràs formas estourando entreas mãos fecundadas nestaestranha música fascinada:alça a voz a beleza desnudano ritmo puro das palavras,aves de um fervor paradisíaconascendo no nosso assombro. Ramiro Torresdezembro 2019